Entrevista: Beth Saito (produtora de moda)

Oba, hoje é dia de entrevista =)

A Beth Saito trabalhou como produtora de moda e, super querida, topou contar para nós sobre a sua experiência de 30 anos produzindo desfiles e eventos!

Antes de ser produtora, ela foi modelo e, como oriental, teve uma certa resistência em conseguir trabalhos, mas com esforço e dedicação, conseguiu se firmar  no mercado de moda e publicidade (olha a determinação fazendo a diferença!!). Passando para o outro lado da passarela, ela produziu desfiles para shoppings, confecções e lojas, além de trabalhar para a Francal e a Feira de Material Esportivos. Também ajudou na implantação da área de moda do Senac, “apresentando desfiles e tendências para São Paulo e interior, levando toda a produção junto, muito diferente das palestras de hoje, pois o início foi com alguns profissionais do Senai-Senac fazendo as coleções e apresentando de forma itinerante.”, ela contou

Na época de modelo!

Na época de modelo!

Há (poucos) anos atrás, não era tão fácil conseguir e pesquisar informações de moda, então ela se devorava revistas importadas e vídeos, e sempre trocava informações com pessoas de todas as áreas. “Várias marcas da época tinham o hábito de viajar para Paris e Milão duas vezes por ano, colher informações e fotografar e assim criar ou adaptar suas coleções.” Olha como era diferente!

Aqui ela conta um pouco mais para nós sobre a sua carreira e dicas para você se dar bem na área:

O que a gente precisa para ser um produtor(a) de moda?

A produtora de moda precisa ser muito organizada, ter bom gosto e bom senso, muitos contatos e gostar de trabalhar muito, porque é um segmento onde você não tem sábado, domingo ou feriado. Calma e paciência são fundamentais.

Você precisa saber ouvir muito e ser sensível para traduzir os desejos do seu cliente (fotógrafos, editoriais, desfiles, filmes ou qualquer produto) e sempre pensar em como conseguir o objetivo de harmonizar e contar a estória que está se propondo.

A responsabilidade é muito grande, pois se todas as etapas não estiverem bem casadas, o resultado final – que é a venda – não será alcançado.

O fundamental é a preparação e você trabalha muito antes, corre contra o tempo e, no caso de desfile, terá várias reuniões para unir todas as ideias e definir local, modelos, iluminação, cenografia, looks, make, cabelo; sem falar na parte burocrática, como o contrato de todos os envolvidos.

Como foi a transição de modelo para os bastidores do desfile? Como foi seu primeiro emprego como produtora?

Foi tranquilo, pois já tinha conhecimento, iniciei como assistente de produção de uma empresa de eventos na área, que ficava em Guarulhos.

Como toda profissão, você precisa passar por todas as etapas para cobrar, explicar e desempenhar as funções. É necessário fazer um pouco de tudo, pois é um trabalho cheio de detalhes.

Fiquei uns 4 anos trabalhando com essa empresa e depois comecei a fazer por conta própria, por meio de alguns clientes que gostariam de encontrar uma forma de incentivar seus próprios clientes e apresentar as coleções. Veja, nesta época (anos 80/90), não era como hoje, “um evento comum”.

Meu primeiro trabalho foi para uma loja multimarcas pequena em um bairro, fora da área mais abastada e com um orçamento baixo. Era necessário improvisar, então conheci o local, troquei ideia e solicitei autorização para fazer no estacionamento. Fizemos da loja um camarim, cobri os vidros da loja de papel com o logo e coloquei um biombo para fechar a porta deixando abertura para entrada e saída. Contratei 10 meninas com 8 trocas e decidimos o cabelo e o make, que elas mesmo fizeram (você também precisa ter noção, pois nem sempre tem verba para contratar um profissional). Selecionamos os looks, fizemos as provas de roupa e marcamos as datas dos ensaios (Nesta época, era comum os desfiles coreografados). Fiz uma pesquisa das músicas, pensando nas entradas, e pedi para gravarem (era época da fita-cassete rsrsrs). Contratei a iluminação, pois seria à noite, e 2 caixas de som – rezando para não chover! O desfile foi um sucesso e o retorno para o cliente foi bom.

Quando decidi que era preciso ter 2 assistentes para você não se sobrecarregar.

Quais eram suas principais atividades e responsabilidades como produtora?

A produtora precisa ter uma visão geral do evento, entender um pouco de tudo, cinema, arte, música, cenografia, maquiagem e estar up to date nas tendências e no mercado de serviços, pois uma agenda recheada de prestadores de serviços é fundamental.

Estar disposto a trabalhar, às vezes, 24h ou sacrificar finais de semana e feriados.

Verificar se é uma loja, confecção, shopping, foto, comercial, teatro ou tv, pois os trabalhos mudam um pouco. Você é o intermédio entre todos os profissionais envolvidos com o cliente e tem que manter a calma e o bom senso em todas as etapas (se não houver um produtor executivo).

Reunir-se com o cliente para saber quais os objetivos, estilo da loja, quanto se tem de budget, se vai ser na loja ou fora da loja, se será servido alguma coisa e decidir qual o passo-a-passo de cada etapa.

Fazer o contato e passar os orçamentos de todos.

Uma das responsabilidades mais importante é com o pessoal dentro do camarim, pois se houver um furto, problemas na passadoria ou manuseio, será da pessoa esta perda e reparação. Por isso a necessidade de se listar o look completo e conferir no final do evento.

Você trabalha muito antes, na organização, preparação e contratação. Trabalha durante, para que todas as etapas estejam em sintonia e inicie no horário. E trabalha no final, na conferência, desmontando o camarim, preparando as devoluções (caso tenha algo emprestado), falando com todos os envolvidos e, principalmente, com o cliente.

No backstage de um evento do Senai

No backstage de um evento do Senai

Você pode descrever como é o “passo-a-passo” de um trabalho de produção?

Desde a definição dos detalhes até os finalmentes do desfile:

Reunião com o cliente para definição do tipo de desfile, cenário, quantos looks, casting, camareiras, planta e cenário, passarela, iluminação, sonorização, trilha sonora, videowall, sinalização, logotipia e gerador (importante porque na maioria dos lugares não possue voltagem suficiente para todos os equipamentos);

Edição de moda;

Camarim (camareiras: 1 por modelo ou 1 para cada 2 modelos);

Modelos (preparar recibos de pagamentos e recibos de prova, roupa e ensaio, caso necessário);

Hair e Make-up;

Monitor interno no camarim (se for viável);

Rádios ou intercomunicadores;

Alimentação dos modelos e camareiras;

Forro para o chão (caso necessário);

Araras;

Transporte dos looks, caso seja em local diferente, e NF de transporte;

Segurança, Bombeiros, Ambulâncias, Manobristas, Engenharia e Advocacia (dependendo da situação);

Filmagem e Fotos;

Aspectos legais, como juízado de menores (se necessário).

Definido todos os parceiros, preparar os looks, marcar prova de roupa, ensaio já com a trilha sonora, hair e make.

Reunião com a montadora, iluminação, som, para acertar como, quando, horário do início montagem e desmontagem.

No dia, verificar se todos estão a postos, se as roupas estão passadas e no cabides e distribuir por araras.

Verificar um lugar para que todos coloquem seus pertences em lugar seguro e com um responsável.

Conferir se cada modelo tem seu nome com a descrição do look, se possível com foto do look na arara.

Passar todas as informações para as camareiras.

Ter uma assistente para dar uma última passada dos looks.

5 min. antes do início, todas tem de estar vestidas e já na posição.

Após o desfile, inicia-se a conferência no camarim.

Caso seja na loja e houver venda no final, os clientes só poderão entrar após conferência e retirada de material não pertencente a loja e saída das modelos.

Os pagamentos que ficarem sob sua guarda, deverão ser feito com recibos assinados.

Caso o cliente filme e for utilizar a imagem, necessário documento assinado com a concessão de imagem.

Muitos leitores tem essa dúvida: você acha que é uma profissão bem remunerada?

Sim, mas depende de cada profissional, com sua postura, organização, comprometimento e ser justo. Nessa área, é necessário um volume de trabalho.

A maioria trabalha de free lancer e ganha por trabalho, mas se trabalhar com carteira (assinada) gira em torno de R$ 1.000,00.

Lembre do controle financeiro de free-lancer,  que precisa estar sempre afinado, pois temos meses de baixa. Nesse caso, recomendo diversificar.

Quais cursos você indicaria para quem quer seguir nessa área? Algum livro ou site que recomenda, também?

Para se ter uma noção da área, você pode fazer o do Senac ou faculdade de moda.

É uma área de conhecimentos gerais, mas a melhor maneira de se aprender é iniciar como assistente e ir ganhando experiência. Como disse, precisa passar por todas as etapas para entender e saber.

Não é uma área fácil, você precisa da criação e organização e com o mercado aquecido, existe muita concorrência e é preciso fazer a diferença.

———-

Muito obrigada, Beth!

Espero que vocês tenham gostado =))