Moda fora do Brasil: Central Saint Martins

Depois de me formar em dezembro/2010, resolvi fazer cursos de moda fora do país. Era uma coisa que eu planejava desde o comecinho da faculdade, sempre achei que conhecer a moda por diferentes olhos seria enriquecedor profissionalmente (sem falar que viajar nunca é ruim, né!).

Já em 2010 fui procurando pela internet quais escolas eram mais recomendadas e cursos pelos quais eu me interessava. Resumindo a minha pesquisa, as escolas que eu encontrei foram: IED, FIT, Parsons, Parsons Paris, Esmod, Istituto Marangoni e Central Saint Martins.

Ou seja, muitas opções! De início eu estava bem interessada pelo FIT, porque eles tem uma grade bem flexível, e você pode ir cursando matérias diferentes sem necessariamente fazer um curso em específico por completo, mas como eu já tinha ido a NY 3 vezes e queria também ir a Paris estudar Francês, resolvi focar na Europa. Depois de muita pesquisa, optei pela Central Saint Martins, em Londres. Além de a escola ser muito renomada, quis conhecer como era a moda na Inglaterra, já que lá eles tem a cabeça super aberta e estão sempre tentando inovar ou ver as coisas de diferentes maneiras.

Renomadíssima, ela oferece cursos de graduação, pós-graduação, mestrados e etc, que são disputadíssimos, tem todo um processo para ser aceito. E são oferecidos, também, os “Short Courses”, que foram os que eu cursei. São cursos das mais variadas áreas (Moda, Artes, Teatro…) que não necessitam de pré-aprovação (ou seja, pague e faça hahaha) e são de curta duração, uma ou duas semanas em média (pra quem mora lá, eles também são dados aos finais de semana e à noite, e a carga horária é a mesma). Cada curso custa entre 300 e 450 libras e todo o pagamento pode ser feito através do próprio site.

Vale a pena? MUITO!!!

Viver em libra não é barato, mas, se você puder pagar, vale muito a pena por diversos motivos.  Nos 3 cursos que eu fiz, todo o conhecimento teórico é posto em prática, então as aulas são muito completas, além de serem dadas por profissionais atuantes na área em questão. As aulas são frequentadas por pessoas do mundo inteiro, e a troca de cultura, valores e conhecimento entre diferentes nacionalidades abre sua cabeça pra uma série de coisas que você nunca tinha reparado ou pensado, sem falar no networking (algumas pessoas dos meus cursos fizeram parcerias de trabalho). E como Londres é uma cidade muito rica culturalmente e fashonisticamente falando, você experiencia muita coisa do que aprendeu em sala de aula: são museus e mais museus, parques e mais parques, lojas e mais lojas pra servirem de inspiração e como campo de pesquisa.

Para quem se interessou:

Eu fiquei numa residência estudantil chamada The Residence . Comparando ao que eu vi em Paris e Londres, era bem boa, com banheiro dentro do quarto (sério, na Europa isso é bem difícil) e uma mini cozinha. O bairro era muito muito muito bom, com duas estações de metrô próximas, vários restaurantes e mercados e dava para andar à noite nas ruas tranquilíssima. Não lembro o preço, acho que era umas 60 libras por noite, algo assim.

Para comida acho que eu reservaria umas 20 ou 30 libras por dia (sendo mais exagerada).

Brasileiros não precisam de visto se não vão estudar mais do que 3 meses (confiram no site da embaixada londrina, porque eu não tenho certeza dos números), mas leve comprovantes de renda, comprovante de passagem de volta para o Brasil, comprovante do hotel, comprovante dos cursos para não ter nenhum problema na hora de entrar no país. Eles conferem documento por documento e também fazem várias perguntas, então, esteja preparada para nenhum imprevisto!

Durante os cursos você acaba tendo gastos com materiais e outras coisas, então sempre leve um pouco de dinheiro para esses fins.

Vou fazer posts contando como foi cada curso que eu fiz!

E para quem quer saber como é o esquema no FIT, a Thereza Chammas  do Fashionismo falou como foi a experiência dela!