Vogue | Job-à-Porter
O ESCRITÓRIO – CHEIO DE PERSONALIDADE – DA JENNA LYONS
O ESCRITÓRIO – CHEIO DE PERSONALIDADE – DA JENNA LYONS
O ESCRITÓRIO DE EVA CHEN
O ESCRITÓRIO DE EVA CHEN
Nova fase =)
NOVA FASE =)
DICAS DE OURO AO SE VESTIR PARA ENTREVISTAS DE EMPREGO – DE MODA!
DICAS DE OURO AO SE VESTIR PARA ENTREVISTAS DE EMPREGO – DE MODA!

Vogue

0 Com.

Dicas de ouro ao se vestir para entrevistas de emprego – de moda!

Para (quase) todo mundo aquele momento de manhã na frente do armário tentando decidir “com que roupa eu vou?” é um drama, agora imagina esse momento quando você vai para uma entrevista de emprego!? Na área de moda?! Todas surtam!

Assim, hoje Dri blogueira sai e entra Dri Consultora de Imagem!

Só um lembrete antes de começar o papo: Eu vou dar dicas genéricas aqui, que são sugestões e possibilidades, nada é regra, ok!? E tudo tem que/pode/deve ser adaptado ao seu estilo e à sua realidade!

Então, vamos lá! Uma das coisas mais importantes a se falar é: se inspire nas pessoas da área/cargo/empresa no qual você está ambicionando.

the job you want

haha adoro essa imagem <3

Quando você está vestida de uma maneira parecida com a das pessoas com quem você quer trabalhar, é fácil para o entrevistador te visualizar naquele ambiente. Imagina assim: na empresa todo mundo é super relaxado, pé no chão, ninguém usa salto, tem jeans por todo o lado e o clima é super despojado. Daí chega uma pessoa montada num salto gigantesco, cabelo com baby liss perfeito, uma make impecável, roupa tão certinha e ajustada que os movimentos ficam até mais presos. Ela pode ter as habilidades ideais para o cargo em aberto, mas vocês não concordam que ela vai destoar MUITO lá?! E uma parte super importante em qualquer trabalho é um bom relacionamento entre os colegas e um clima legal no ambiente, em que todos estejam confortáveis. Assim, se tiver uma outra pessoa que também esteja apta, mas que tenha o mesmo “estilo” que o resto da equipe, vocês não concordam que a balança vai pesar muito mais para essa?

Como eu disse, tudo pode ser adaptado e pensado para você e seu estilo. Se a gente pensar no caso anterior, o que poderia ser mudado? Ela poderia ir de salto baixo ou sem salto, com uma make mais leve, o cabelo mais relaxado, alguma peça de roupa que passasse essa ideia de despojamento… A essência dela ainda vai estar ali, mas adequar alguns pequenos aspectos ía ajudá-la muito.

Antes que você pense “Ai, mas que frescura ter tanto cuidado com detalhezinhos! Eu não vou mudar para me encaixar!!” Mas isso não é mudar quem você é, é fazer algumas adequações para um papel/momento específico da sua vida. Pensa assim: quantos surfistas e skatistas tem que usar terno para trabalhar? Eles continuam sendo quem eles são, mas naquele momento eles estão se adequando. Então, aquele sapato gigantesco, ou até o contrário, aquele sapato gostosinho e confortável pode ficar para o fds ou horas livres, né?!

Hoje, com os blogs de street style e redes sociais, dá para achar facinho exemplos de looks de pessoas que trabalham onde ou com o quê você quer trabalhar! Pode ser que você não ache exatamente daquela empresa ou daquele cargo, mas dá para achar algo semelhante e poder se inspirar e ter uma ideia do que sim e do que não.

barbaramigliori

fefischer

Fotos da @barbaramigliori (Diretora de Moda da Vogue) e @fefischer (RP da Schutz): redes sociais super ajudam pra gente ter uma ideia de como se vestir.

Outro item importantíssimo para falar é: você passa mensagens o tempo todo com sua roupa e comportamento, sem precisar abrir um piu! O que a outra pessoa enxerga em você (roupa, comportamento, postura…) pode chegar a 93 POR CENTO de tudo o que ela absorve do que você comunicou! Ou seja, às vezes você pode estar falando uma coisa maravilhosa, mas se a imagem que a pessoa enxerga não condiz, ela não vai botar fé nessa maravilhosidade que você disse. E vou dar um exemplo aqui que todo mundo vai me entender!

devil prada

Nossa querida Andy Sachs de O Diabo Veste Prada <3 Ela se vestia toda destrambelhada e depois da makeover ficou toda elegante, fina e sincera (OU começou a usar roupas que se encaixavam na redação da Runaway). A atitude de todos com ela mudou, não mudou? A Miranda olhou pra ela com outros olhos, não olhou? O trabalho dela ou a competência dela mudaram? NÃO! Maaassss, agora as pessoas podiam ENXERGAR a competência nela! Sentiram a importância da imagem – e de pertencer ao lugar?

Agora falando mais especificamente, tem uma peça que eu boto a maior fé que vai ajudar no seu look conquistador-de-emprego, seja para trabalhar na Farm, na Vogue ou num bureau de tendências: o blazer! Como ele vem do terno, que é um dos “ícones” do guarda-roupa formal, ele carrega essa mensagem de profissionalismo, seriedade – e TODO MUNDO quer passar isso na entrevista, certo!? Seu blazer pode ser estruturado, de malha, estampado, assimétrico, colorido, branco, preto, cinza… Dá para todo mundo achar um modelo legal que combina com seu estilo! Ele vai combinar com o look certinho de salto e calça social ao despojado e básico de calça jeans e camiseta. Nesse último, mesmo que o ambiente seja super descolado, jovem e informal, ele vai garantir o toque de profissionalismo necessário.

blazer 1

Agora, o que NÃO fazer ou usar:

  • Barra de calça poída, camiseta com gola desbeiçada, mancha, sapato descuidado…: Nunca vão passar uma mensagem positiva de você.
  • Calças jeans rasgada e desbotada, com muita lavagem: mesmo que o ambiente seja descoladérrimo e tenha gente usando esse tipo de peça lá, eu não aconselharia para uma entrevista de emprego. Vai mostrar pele desnecessária e rasgo remete a descuido (mesmo que seja um item de moda, a mensagem continua sendo essa), então eu evitaria.
  • Make pesada e exagerada: a melhor alternativa é make de bonita, que valoriza, e não que distrai – e até causa repulsa!
  • Dedinhos dos pés totalmente de fora ou pé pelado (ex.: rasteirinhas): sapato fechado é a melhor alternativa! Essas características lembram praia, fim de semana… ou seja: ficar sem fazer nada e relaxar. Não queremos isso quando vamos mostrar como somos capazes, né?
  • Esmalte descascado: desleixo e preguiça! Sério, nem pra vida isso é legal! Não precisa estar com a unha necessariamente pintada, mas cortadinha e hidratada já tá bom.
  • Acessórios que fazem barulho: imagina você e o entrevistador conversando e aquele barulhinho de pulseira mexendo, brinco balançando… super distrai e incomoda.

 

Dá para montar looks e mais looks super interessantes e que expressem sua personalidade e tenham seu toque pessoal, é só garantir que essas ideias sejam levadas em consideração e você já vai chegar arrasando e se sentindo confiante ; )

Ps.: Importante lembrar que pode ser que você faça a entrevista com alguém do RH e não necessariamente da sua área (pelo menos num primeiro momento), então ele vai ter uma visão completamente diferente de um item de moda que essa outra pessoa teria! Tenha em mente isso sempre!!

0 Com.

O escritório de Anna Wintour

Para todo mundo começar a semana inspirado e no pique, que tal uma olhadinha no local de trabalho da eterna Diaba da moda, Anna Wintour!?

anna wintour office

Todo clássico, o ambiente tem alguns toques de objetos étnicos e uma bela coleção de fotografias!

Para quem quiser conhecer mais, tanto o escritório quanto a editora chefe da Vogue America e, de quebra, alguns cantinhos da redação da revista, Anna participou de um vídeo que faz parte de uma série, da própria Vogue, em que a pessoa responde a 73 perguntas, rápidas e super variadas. Mesmo que inglês não seja o seu forte, poder conhecer o lugar já vale a pena!

0 Com.

Quanto ganha quem trabalha em revistas de moda?

Reza a lenda que o mundo da moda é um mercado difícil para se fazer dinheiro. Mas a gente escuta um boatinho aqui, um comentário ali, mas nunca rola o que a gente quer saber mesmo: o dim dim de verdade, com todos os centavos a se considerar! Até porque, o pouco de um é o muito de outro, né?!

Marie Claire Editor

Para ajudar colegas como nós que tem essa curiosidade (ou até necessidade!), o Who What Wear reuniu informações que o Glassdor, um site de busca de empregos gringo, coletou de funcionários anônimos da Condé Nast, publisher da Vogue, GQ, Glamour… Como lá nos EUA eles falam do salário anual, eu dividi por 12 para nós entendermos melhor! Apesar de nosso mercado ser bem diferente do de lá de fora, acho interessante termos esse referencial! Melhor do que nada, né!?

EDITORIAL ASSISTENT: US$ 2552,00

ASSISTENT DIRECTOR: US$ 2898,00

FASHION ASSISTENT: US$ 3166,00

ASSOCIATE EDITOR: US$ 4486,00

EDITOR: US$ 5804,00

ONLINE EDITOR: US$ 6161

ONLINE SENIOR EDITOR: US$ 7320

SENIOR EDITOR: US$ 8227,00

CREATIVE DIRECTOR: US$ 13611,00

Todo mundo correndo para descobrir como virar um Creative Director!? haha

E aí, surpreendeu ou decepcionou?

(Vou preparar um post com uma descrição de cada um desses cargos, o que acham!?)

=)

0 Com.

As fashionistas mais poderosas do mundo

Você já ouviu falar da lista das 100 Mulheres Mais Poderosas do Mundo feita anualmente pela revista Forbes!? Imagino que sim, já que é bem famosa e referência no mundo todo! Recentemente, eles lançaram a edição de 2014, ano que marca o aniversário de 10 anos da tal lista. Os critérios utilizados para avaliação? Dinheiro + tamanho na mídia + campos de influência + impacto. Das 100, 6 são do mundo da moda e hoje vamos conhecer um pouquinho mais sobre cada uma, porque se elas estão nessa lista, nós com certeza devemos saber mais sobre elas!

Sara menor

Você pode não reconhecer o nome ou o rosto, mas, com certeza, conhece o produto criado por ela: Spanx! Siiiim, a lingerie modeladora usada por 10 entre 10 famosas, foi a responsável por colocar Sara entre as 100 mais poderosas do mundo. Considerada a mulher mais jovem a se tornar, por trabalho próprio,  bilionária (sim, com b!!!!!!), Sara, hoje com 43 (alguém me passa o número do dermatologista dela?!), criou o Spanx aos 27 anos, depois de ter investido suas economias de 5 mil dólares para criar uma lingerie que ela pudesse usar por baixo de uma calça branca. Desde então, ela transformou sua marca de apenas um produto em uma empresa com extensa linha de produtos, que hoje ganha 250 milhões de dólares anuais (!!!), e se prepara para lançar uma linha de jeans com a tecnologia Spanx. E você ainda duvida que uma boa lingerie pode te ajudar a vencer na vida!

89 Gisele

Ahhhh, Gisele… Além de linda, loira, alta, milionária, com família de comercial de margarina, a bonita ainda aparece nessa lista! Há 7 anos, é eleita a modelo mais bem paga do mundo e, aos 33 anos, apesar de diminuir a quantidade de projetos dos quais estrela, eles continuam sendo muito importantes e lucrativos: H&M, Chanel e Pantene. Além disso, ela tem sua marca de cosméticos eco-friendly Sejaa, ações na Grendene e sua linha de lingeries com a Hope, a Gisele Bundchen Intimates, que ganha loja própria esse ano. Pra fechar com chave de ouro, Gisele, que é super preocupada com o meio-ambiente, é embaixadora da Boa Vontade do Programa Ambiental da ONU, desde 2009, e agora faz parte do conselho do Rainforest Alliance. #nãotáfácilprasinimigas

79 Tory Burch

Não foi só a Cinderella que mudou sua vida por causa de um par de sapatos; Tory Burch também! Apesar das muitas linhas de produtos, as famosas sapatilhas Reva, de US$ 200,00, são o carro-chefe de seu império (gigantesco!). E ele continua a crescer,  ano passado com perfumes e loja na Rodeo Drive e, esse ano, com relógios! Recentemente, Tory lançou o Elizabeth Street Capital, uma joint venture entre a Tory Burch Foundation e o Bank of America, que ajuda mulheres empreendedoras com baixo capital a melhorarem seus negócios. O passado da moça não é nada ruim: entrou para a lista de Bilionários da Forbes em 2013 e suas ações só mostram mais e mais valorização.

75 Miuccia Prada

O que dizer de Miuccia? Sem se ocupar de 1 milhão de papéis, a italiana lidera a marca criada pelo seu avô em 1913, Prada, com louvor tanto no mundo da moda quanto no mundo dos negócios. Sua pequena fortuna? Só US$10.4 bilhões (emoji de carinha de queixo caído)! Miuccia é tão visionária que, antes da Lupita Nyong’o ganhar o Oscar esse ano, ela fechou contrato com a queniana para a Miu Miu!

68 DVF

A próxima da lista é a toda chique e poderosa Diane Von Furstenberg, dona da DVF. Ela podia ter se contentado em ter sido casada com um príncipe, mas, não!, Dianinha quis mais. Lançou sua linha de roupas nos 1970 e criou o icônico Wrap Dress, que fez 40 anos esse ano, e a colocou no mapa da moda. Apesar de algumas baixas durante o caminho, hoje em dia a marca se encontra muito bem, obrigada, e é vendida em 55 países ao redor do mundo. Ela e seu marido Barry Diller, bilionário, filantropista e media mogul, cuidam da Diller-Von Furstenberg Family Foundation, que ajuda organizações das quais eles são próximos. É muita chiqueza!

39 Wintour

Há! Quem seria a mais poderosa fashionista do mundo se não ela, a toda-poderosa, Editora-Chefe da Vogue America, Diretora Editorial da Teen Vogue e Editora Artística da Condé Nast, Anna Wintour! Pelos tantos milhões de dólares que já arrecadou para a área de moda do Met, e também por todo seu apoio, o museu renomeou a área para “The Anna Wintour Costume Center”. Além disso, a “diaba” conseguiu aumentar a publicidade da mídia impressa e digital da Condé Nast em 3,3% e 28%, respectivamente; um grande feito, já que a gente sabe que o mercado editorial anda passando por maus bocados. E ela ainda participa da vida política americana, tendo ajudado a arrecadar fundos para a campanha de Obama. É muito poder!

Acho que deu pra dar uma boa inspirada, não!?

Caso você queira ver quem são todas as moçoilas poderosas deste mundão, é só clicar aqui

0 Com.

Os brasileiros do BoF 500

O Business of Fashion, ou BoF, um site focado em notícias de business de moda do mundo inteiro, divulgou na sexta-feira passada uma lista com as 500 pessoas que mais influenciam o mercado mundial. No BoF 500, nome dado ao projeto, tem gente de tudo que é país, dos EUA ao Qatar, e o nosso Brasilzão não ficou de fora! Depois de uma longa pesquisa, foram escolhidos 15 profissionais para participar da lista – ficamos em 7o. lugar entre os países com mais nomes!

Hoje a gente vai conhecer quem são esses brasileiros tão significativos na moda e saber um pouco mais sobre o que cada um fez para merecer o mérito:

Herch

Alexandre Herchcovitch, estilista: É referência na moda brasileira desde sua coleção de formatura da Faculdade de Moda, no comecinho dos anos 90. Hoje desfilando na SPFW e na NYFW e com lojas fora do Brasil, Alexandre é muito bem sucedido em manter sua marca de roupa que tem um apelo mais ousado e fechar parcerias e licenças com grandes redes, como Tok & Stok e Zêlo, atingindo o grande público. Também possui a Herchcovitch; Alexandre, marca de jeanswear que desfila no Fashion Rio.

Alice

Alice Ferraz, fundadora do escritório de RP Ferraz Moda e do F*Hits: Seu escritório é um dos mais importantes do setor do luxo, prestando serviços para grifes de prestígio desde 1996. A plataforma F*Hits, que reune 25 bloggers escolhidos a dedo por ela, totaliza 5 milhões de visitantes únicos por mês.

Carlos

Carlos Jereissati, presidente e chefe executivo do Grupo Iguatemi: Responsável pelo grupo que comanda 13  dos maiores shoppings do Brasil, entre eles JK Iguatemi, Iguatemi São Paulo (o shopping que mais lucra por m2) e Galleria Shopping (RJ), foi importante para o país por trazer grandes nomes do luxo como Tiffanys e, mais recentemente, Lanvin.

Costanza

Costanza Pascolato, colaboradora da Vogue Brasil (e responsável pela tecelagem Santaconstancia): Do alto de seus 74 anos, Costanza já teve (e tem!) muitos papéis importantes na moda brasileira. Hoje é colunista da Vogue, tem livros publicados, é consultora para algumas marcas, como H. Stern, cuida dos negócios da Santaconstancia e mantém um blog na plataforma Shop2gether. (Musa!)

Daniela

Daniela Falcão, editora-chefe da Vogue Brasil: Daniela foi chamada para comandar o time da Vogue afim de levar um olhar mais feminino para a revista. Apoia o Brasil e a moda como pode, fazendo ensaios em Foz do Iguaçu e destacando estilistas nacionais, e colaborou para a criação da Globo Condé Nast, joint venture das Organizações Globo e a gigante Condé Nast.

erika

Erika Palomino, editora-chefe da L’Officiel Brasil: Tida como autoridade no jornalismo de moda, Erika acumula mais de duas décadas escrevendo sobre o tema. Hoje é a editora-chefe da revista L’Officiel Brasil e consultora da marca Melissa.

gloria

Gloria Kallil, fundadora do Chic: Consultora de moda, tem um dos nomes mais conhecidos quando se fala de estilo e etiqueta. Ficou na notória (e falecida) Fiorucci por mais de 17 anos, tem 4 livros e é dona do site Chic, onde posta vídeos e textos sobre estilo e etiqueta.

Helena

Helena Bordon, fundadora do helenabordon.com: Filha da ex-Daslu Donata Meirelles, a socialite é co-fundadora da marca jovem 284. Estagiou na Valentino em NY e hoje tem um site no qual posta dicas de estilo, beleza e viagem e tem parcerias com a Martha Medeiros, LOOL e Shop2gether.

José

José Auriemo Neto, presidente do shopping Cidade Jardim: O executivo é CEO e chairman da JHSF, empresa brasileira do setor imobiliário que cuida de propriedades residenciais e comerciais. Além de supervisionar hotéis e outros empreendimentos do grupo, ele é responsável pelos shoppings da empresa, entre eles o Cidade Jardim. Ele foi o responsável por fechar os contratos de exclusividade do shopping com marcas de alto luxo, como Jimmy Choo, Hermès e, mais recentemente, Valentino.

Monica.JPG

Monica Mendes, fundadora do escritório de RP Monica Mendes Communications: Com seu escritório na ativa há mais de 20 anos, Monica é uma peça-chave no mundo do luxo no Brasil. Participou da abertura da primeira marca de luxo no brasil (não achei qual foi =/), tem importantes conexões fora do Brasil e possui em sua cartela de clientes grifes como Hermès e Dolce Gabbana.

Natalie

Natalie Klein, fundadora da NK Store (e da Talie NK): Herdeira da Casas Bahia, Natalie abriu sua multimarcas em 1997, tendo exclusividade de marcas como Chloé, e desde então é referência nesse mercado. Criou sua própria marca, a Talie NK, abriu uma filial da NK Store no RJ, lançou seu e-commerce e, esse ano, fechou parceria com a Farfetch para que sua marca tenha um alcance mundial.

Oskar

Oskar Metsavaht, estilista da Osklen: Oskar é o criador da Osklen, marca que produzia roupa esportiva e depois migrou para o ramo de luxo e é muito bem conceituada no mercado internacional, com lojas em diversas cidades do globo e desfiles na SPFW e NYFW. Ele também fundou o Instituto-e, uma ONG focada em desenvolvimento sustentável, fazendo parcerias com empresas e institutos e criando tecidos de materiais que seriam descartados, como o couro de salmão. O estilista acumula uma coleção de prêmios e nomeações devido a esse trabalho e já foi inclusive nomeado Embaixador da Boa Vontade pela UNESCO e convidado a integrar o board do Greenpeace.

Patricia

Patrícia Viera, estilista de sua grife homônima: Seu sucesso vem do trabalho excepcional com couro, criando e reeditando-o em diversas formas, texturas e cores. Suas peças podem ser encontradas em multimarcas renomadas pelo mundo, como a Browns em Londres e Collette em Paris.

Paulo

Paulo Borges, fundador e diretor artístico do SPFW: CEO de Marketing e Produção de Eventos da Luminosidade, empresa pela qual cuida dos dois eventos criados por ele e que estão entre os mais importantes do mundo: SPFW e Fashion Rio. Também é conhecido por ajudar a alavancar nomes nacionais para o cenário mundial, como Lucas Nascimento e Alexandre Herchcovitch.

Pedro

Pedro Lourenço, estilista de sua grife homônima: FIlho de Gloria Coelho e Reinaldo Lourenço, Pedro lançou sua primeira coleção aos 12 anos, por meio da Carlota Joaquinha, grife de sua mãe. Desfila sua marca própria em Paris desde 2010, sempre muito aclamado pela crítica especializada, como Carine Roitfeld. 

0 Com.

Look do trabalho: Monica Salgado

Uma das perguntas que mais permeia a vida das mulheres (e de muitos homens também!) com certeza é: “Com que roupa eu vou?!?!?!”. E quando essa mulher trabalha ou quer trabalhar com moda? Ixi, piorou! Eu sei que muita gente tem dúvida – e insegurança, né? – sobre qual roupa usar para trabalhar nesse segmento. A chave é você ter um estilo próprio, reconhecível, que serve como mais uma ferramenta para mostrar os seus pensamentos em relação à moda e se sobressair da multidão. Nada de modinhas dos pés à cabeça ou ser uma fashion victim! O importante é traduzir e filtrar o que você todos os dias para o seu gosto e universo pessoal.

Mas mesmo assim bate uma dúvida, né? Por isso, na tag “Looks”, vou trazer looks que profissionais da área usam, porque essa pode ser uma boa maneira de você se inspirar e ir descobrindo o seu jeito ideal para trabalhar no mundinho fashion.

Hoje vamos trazer uma jornalista muito fofa e super glamuorosa! A Mônica Salgado já passou pela Vogue e atualmente é a Diretora de Redação da revista Glamour, título que está há pouco mais de um ano no Brasil e já tem o Louboutin de salto agulha muito bem fincado no mercado editorial feminino!

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.16.22A Glamour é uma revista bem próxima da leitora, super atuante nas redes sociais e a Monica segue a mesma linha, sendo super presente no Instagram. E, para a noooooossa alegria, ultimamente ela tem compartilhado os seus looks do dia no seu perfil do instagram (@monicagsalgado).

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.17.22

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.17.49Ela segue uma linha bem clássica e romântica, com algumas pitadas de cor e estampa que atualizam o look sem perder a sua essência. Seja um animal print, alguma cor mais forte, ou até um look monocromático trabalhado em texturas, nunca falta algum detalhe para trazer mais interessância ao look.

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.18.10

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.18.39O cabelo e a maquiagem estão sempre impecáveis: cabelo bem escovado, delineador gatinho discreto e batom nude.

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.19.05

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.19.41

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.20.19

Captura de Tela 2013-09-16 às 22.20.40Gostaram?!

Fotos: instagram @monicagsalgado

0 Com.

Voguepedia

Caso você precise fazer alguma pesquisa, seja para um artigo, trabalho para a faculdade ou apenas curiosidade, descobri um recurso muito legal! No site da Vogue America, tem uma sessão chamada Voguepedia no qual é possível pesquisar diversos nomes e assuntos importantes da indústria. Os nomes estão separados por categorias como Beleza, Marcas, Fatos Importantes, Fotógrafos, entre outros.

Captura de Tela 2013-06-18 às 22.01.53

 

É possível ler um resumo sobre a história do assunto que você buscou, quando apareceu na Vogue pela primeira vez e também artigos na Vogue.com que contenham o tal tema! Além disso, eles fornecem a bibliografia de onde tiram todas as informações, então te dá novas opções para fazer sua pesquisa.

E você achava que só o Google era útil, hein?!

0 Com.

The Editor’s Eye

– O que faz um editor de moda?

É com essa pergunta que se inicia o documentário de comemoração dos 120 anos da Vogue: The Editor’s Eye. A pergunta é seguida por diversos editores fazendo cara de interrogação e buscando um meio de responder a tal pergunta. E não é que nenhum consegue descrever completamente a função?

Basicamente, um editor de moda é responsável pelas imagens de moda da revista. Sabe aquelas imagens que você já parou e ficou olhando, admirando, fantasiando, tentando entender…? Isso é obra de um editor de moda!

Editoras da Vogue

O documentário é simplesmente incrível – não tenho outra palavra para descrevê-lo! Com comentários da Anna Wintour, é narrado como as imagens foram importantes desde que a revista foi lançada. E a medida que vai avança, é feito um paralelo com o que estava acontecendo na sociedade na época – super importante para entendermos a importância de cada foto. E, dessa maneira, também vai sendo apresentado editoras importante da revista – Diane Vreeland, alguém? – até que chega nos dias atuais e cada uma das editoras que estão hoje na revista vão contando sua história, o que é importante para elas e as características de suas fotos. É super legal ver como cada uma tem um estilo próprio: nossa ruiva adorada, Grace Coddington, faz editoriais dignos de sonhos, enquanto Camilla Nickerson segue uma linha um pouco mais “dramática” e agressiva.

Além de ser uma oportunidade para saber mais sobre a história da Vogue e como funcionam os bastidores, também é ótimo para conhecer um pouco mais das outras editoras que fazem parte do time da revista.

The Editor's Eyes

Os canais da HBO estão exibindo o documentário. Dê uma olhada na programação dos canais para ver quando vai passar de novo, mas vira e mexe eu vejo passando (hoje mesmo eu vi na HBO 2!).

Aficionados ou não em revistas de moda, eu recomento muito assistir!

 

Update: Encontrei os horário de exibição do documentário no mês de fevereiro:

HBO sex, 08/02/2013 10:49
HBO 2 dom, 10/02/2013 15:17
HBO dom, 17/02/2013 16:42
HBO sex, 22/02/2013 12:50
HBO 2 seg, 25/02/2013 08:00
HBO ter, 26/02/2013 20:20
1 Com.

Moda Operandi: Lauren Santo Domingo

Loira, linda, magra, casada com herdeiro milionário, estrela de blogs de streetstyle, editora da Vogue, co-fundadora e diretora criativa do M’O. Não, não é para você ficar com inveja, é para você se inspirar mesmo, ok?!

Nascida em Connecticut e formada em História pela University of Southern California, Lauren entrou na moda como modelo, mas a profissão durou pouco, já que logo ela entrou na Vogue America como assistente. Como ela mesmo diz, “com muito trabalho duro e determinação” ela foi subindo na revista até chegar ao posto de Market Editor. Depois de alcançar um cargo tão sonhado por tantos, ela se tornou, em 2004, diretora de RP na J. Mendell e foi responsável pelo lançamento – muito bem sucedido – da coleção prêt-à-porter da marca. Em seguida, partiu para comandar o departamento de RP na Carolina Herrera até que, em 2006, voltou para nossa querida Vogue. Nessa época, além de atuar como colaboradora da revista, cuidando do styling de editoriais, a sra. Santo Domingo, trabalhava como stylist freelancer para estilistas, celebridades e lojas em Paris e NY.

E como trabalho pouco é bobagem, nossa querida fashionista resolveu se unir à sua BFF Aslaug Magnusdottir para criar o M’O – sem deixar de atuar como colaboradora da Vogue, bien sûr  Diz que elas queriam há tempos abrir um negócio juntas, mas elas não quiseram ir no óbvio “site/blog de moda” (que seria um sucesso com certeza, se considerar o super estilo da Lauren e a quantidade de fotos de streetstyle dela pela web)  e esperaram até que tivessem uma ideia boa o suficiente. Como surgiu a ideia a gente já sabe, né? 

Além de ser uma super motivação do tipo “não estagne sua carreira apesar de ter um ultra-mega-blaster cargo”, não temos como fugir do fato de que ela é uma inspiração fashionística ambulante!

E, depois desses looks lindos, termino o post com palavras da própria:

“Sometimes the best accessory a girl can have is a friendly smile and a kind work”